terça-feira, 5 de julho de 2011

Do not let fate decide for you.



Deitada em minha cama, e olhando para a vazia parede de meu quarto, começo a pensar em você. Quantas coisas poderiam ter dado certo, se eu não tivesse perdido tanto tempo. Talvez, se tivesse feito as escolhas corretas, ou pelo menos me arriscado, talvez, você poderia estar aqui, brincando com a mecha do meu cabelo, enquanto em durmo confortavelmente em seu peito, ouvindo o calmo som da sua respiração. Talvez, quando eu abrisse os olhos de manhã, você poderia estar me olhando hipnotizado, com um sorriso no rosto.  Talvez, você poderia estar me abraçando, e beijando meu pescoço, falando-me o quanto sou especial à você. Talvez, poderia estar sentindo frio na barriga ao olhar fundo nos teus olhos verdes. Talvez, poderia estar arrepiada sentindo o leve toque de seu dedo passeando pelas minhas costas. Talvez, poderia estar chorando de rir com suas piadas infantis. Mas não, estou sozinha, sentindo-me vazia, oca, e em constante agonia. Abraçando fortemente o travesseiro e pensando : Onde será que estás agora? Pensando em mim? Com outra pessoa? Se divertindo e sendo feliz? Ou sentindo a mesma nostalgia, que sinto por você? Será que irá me ligar? Afinal, por que brigamos? Por que deixamos, que nos separassem? Pergunto-me perdida. Viro-me de lado na cama, e olho para a nossa foto, em um quadro, em cima de minha escrivaninha. Nós dois abraçados, em baixo de “nossa” árvore, rindo, com enormes sorrisos no rosto. Não lembro quem tirou a foto, nem do o que estávamos rindo exatamente, mas sei que é a foto que mais gosto de nós dois. Acho que é por causa, de sua expressão de fascínio no rosto em quanto me olha, no meio de nossa gargalhada. Ou , se é por causa de seu cabelo, sendo bagunçado pelo vento, e caindo sobre os olhos. Ou se é por seus braços estarem à minha volta. Não sei, mas é alguma dessas coisas que a torna tão especial.  E assim, de súbito tomo minha decisão. Levanto da cama, com pressa e quase caio, me enrolando no cobertor. Pego meu celular, procurando seu número.  E te mando uma mensagem. Independente da resposta, não vou deixar, qualquer outra coisa mudar meu futuro, não vou deixar um engano do destino, ou uma briga me atrapalhar, se eu tiver que arruinar tudo, que seja, pelo menos será conseqüência de um ato próprio. E assim, espero, ansiosa, por sua resposta. Sento na ponta da cama, segurando nossa foto, e sorrindo ao olhar pro seu rosto. E assim os minutos passam. E passam... E eu desisto. Desabo, detonada na cama. Triste, agarrando minhas pernas com força, me sentindo sem ar. É, pelo menos eu tentei. Algumas lágrimas frias escorrem pelo meu rosto, e deitada na cama, meus olhos começam a se fechar. Minha cabeça pesa, e o mundo a minha volta, vai se apagando. Quando estou quase dormindo, sinto alguma coisa vibrar. Meu celular. Levanto e pego rapidamente, o celular da escrivaninha e leio a mensagem:

Eu sei. Também peço desculpas. Eu amo você, e nunca deixei de amar. Saudades.

Um sorriso se espalha por meu rosto. Estava enganada. E afinal, não foi tão difícil assim, foi ?
 Não deixe a vida decidir seu futuro por você. Destino, é apenas uma desculpa, para que você fique parado, deixando o mundo dar voltas e o tempo passar, apenas esperando que em um passe de mágica, tudo vire um conto de fadas. Não pense duas vezes, apenas vá e faça. Melhor do que ficar na dúvida do o que poderia ter acontecido, ou no talvez. Tente, se arrisque, provoque, viva! Faça tudo o que der vontade. Ou pelo menos tente. O tempo passa tão rápido, então use-o ao seu favor, e faça cada segundo valer a pena.

autor: Luana Espindola

Este texto foi feito para um amigo meu, Igor. Que um dia veio me pedir alguns conselhos, e eu tentei da melhor maneira possível ajudá-lo. Mas como vocês sabem, eu consigo expressar melhor minhas opiniões e conselhos através de meus textos. Por isso, fiz este texto, fictício, na qual é uma homenagem a ele. 
O que na verdade foi uma honra ele ter me pedido isso, eu realmente gosto de escrever, e não me sinto incomodada com isso. Se alguém quiser, que eu faça algum texto, ou algum conselho, é só me falar, igual ao  Igor. Espero que tenham gostado. Sei que este texto não está entre os melhores, e na verdade em minha opinião, está fraquinho, mas é isso.E , hmn... Sim, sou eu na foto rs  Beijos para vocês. 



Luana Espindola

6 comentários:

  1. é inacreditavel a forma que voce tem de descrever o que se passa dentro de mim, eu amei o texto, serio hoje nao seria nada sem voce

    ResponderExcluir
  2. Ah Igor, fico muito feliz que tenha gostado. E bom que acertei rs Espero ter ajudado em alguma coisa. Aw, obrigada mesmo. E obrigada por comentar aqui *-* aw.


    Luana Espindola

    ResponderExcluir
  3. Num relacionamento o silêncio às vezes pode sustentar enormes problemas quando o que mais precisamos fazer é falar.

    Um bonito texto, gosto de ler retratos de sentimentos. ^^

    E obrigada por sua visita, voltarei aqui mais vezes. (:

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Com certeza, o silêncio ou a omissão , às vezes não leva a nada.
    Fico contente que gostou. Obrigada.
    Beijos, e mais beijos.

    Luana Espindola

    ResponderExcluir